sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Causa e Efeito: Mentira vs Justiça

Hoje decidi voltar a escrever aqui no blogue! Não o faço há uns tempos, há meses, como todos podem constatar, O último texto foi escrito com a alma e o coração, de forma algo penosa. Mas estou de volta a este cantinho onde vos ofereço mais um pouco de mim. 

Apetece-me falar de duas coisas que são de extrema importância para mim: a Mentira e a Justiça. É verdade, são duas coisas com tal importância para mim que chegam a interferir com o meu estado anímico ao ponto de me sentir nervoso, ansioso ou até mesmo revoltado.

Quem me conhece sabe que a Mentira é uma das coisas que me deixa totalmente fora de mim!! Não estou a falar daquelas mentiras chamadas de "piedosas" que servem apenas para não magoar outrem ou para calar alguma boca mais incómoda e/ou enervante. Não! Falo mesmo daquelas mentiras que se arrastam indefinidamente e que são proferidas tantas e tantas vezes que, até ao próprio autor parecem já ser verdades absolutas. Não consigo conviver com isso, de facto. Uma coisa é ocultarmos isto ou aquilo, todos temos as nossas coisas mais ou menos secretas e que preferimos manter apenas para nós ou para um muito restrito número de pessoas que detêm as nossa total confiança. Mas outra coisa é mentir franca e descaradamente como se o que sai da boca fosse a mais absoluta verdade! Não consigo! Não suporto!

E isto conduz-me à segunda parte: a Justiça. Sendo que a causa é a Mentira, impõe-se um sentido de Justiça como sendo o efeito. Quase que fico cego com a necessidade de fazer justiça de forma a desmascarar as mentiras que me vão sendo apresentadas. É uma necessidade que sinto desde sempre, provavelmente fruto da educação que tive, em que a verdade é sempre soberana, ainda que seja de forma a que saia prejudicado. Lamento (ou não!) mas eu sou assim e quem está comigo tem de aprender que sou assim e não mudo. Deliberadamente, não mudo!

Se calhar isto tende a agravar-se ao estar na iminência de completar tantos anos quantos os ladrões do Ali Babá... Estou mesmo em crer que vai ser mais um ano de mudança. Se aos trinta refinei, aos quarenta acho que vou apurar ainda mais um bocadinho... Para o melhor e para o pior! 

Espero ter sido claro e que tenha conseguido dar-vos um pouco da ideia do que é existir em mim esta relação causa-efeito. 

Voltem que eu também prometo voltar.

B&A

1 comentário:

Ursinho de peluche disse...

Meu grande Amigo, como te compreendo, principalmente a parte da injustiça... Tenho pena que existam pessoas que não conseguem ver o que fazem aos outros e que, deliberadamente, são injustos para nós. Acho que está no bom caminho. Gosto de ti assim, vertical e com uma boa bagagem. Um forte abraço e continua assim.