quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Dar um tempo...



"É melhor darmos um tempo..." é daquelas frases que a maioria de nós já ouviu proferir. Ou porque foi directamente para nós ou porque soubemos de alguém que a ouviu. E começa a ser muito comum as pessoas "darem um tempo" a tudo na vida... Dão um tempo à família, dão um tempo à profissão, dão um tempo aos estudos... Enfim, a tudo!
Lembro-me de ser miúdo e ouvir esta expressão associada a namoros... e ao fim deles! "As coisas não andam bem, é melhor darmos um tempo..." era uma das frases típicas. Como diz uma amiga minha, "é o princípio do fim, as pessoas é que não querem aceitar". E, muito possivelmente, é mesmo isso. Recusamo-nos a aceitar aquilo que não entendemos. Pelo menos eu sou assim!! Para aceitar e encaixar, preciso de entender. Mas, se não me explicam, como poderei entender?! Por deduções posso sempre errar e concluir de forma errada, certo?
E foi preciso chegar aos trinta e sete anos de existência para "descobrir" que também se dá um tempo a uma amizade... Com isto é que fico perplexo, confesso!!
Não me conformo com "dar tempo" a uma amizade!! Quando se é verdadeiramente amigo, está-se lá em todos os momentos em que é necessário. É assim, pelo menos, que eu vejo a amizade verdadeira como a que dedico a todos os que considero Amigos. E sei que já dei provas disso e vou continuar a dar sempre que um Amigo precise. E, talvez por isso, não consiga entender e aceitar que me peçam para "dar um tempo" numa amizade... Faz-me falta conversar sobre as coisas, sobre as razões que levam alguém a tomar esta atitude. No meu entender é pura cobardia fecharmo-nos em copas e virar costas como se nada fosse, à espera que venham dias melhores. Isso faço eu a quem não me merece consideração ou com quem eu acho que não vale a pena manter contacto... E eu ainda acho que valho a pena... ou quero acreditar nisso, pelo menos.
Compreendo e aceito que as pessoas possam ter pontos de vista diferentes a respeito do mesmo assunto, sempre aceitei; não consigo entender é que as pessoas não se entendam e respeitem, que não dêem valor ao próximo e às suas acções, que vejam apenas as coisas menos boas e se esqueçam de pesar também as coisas melhores. Mas a vida é assim mesmo... Poucos cumprem aquilo que apregoam de viva voz, infelizmente...
Não me sinto revoltado, sinto-me apenas triste com este tipo de situações... Triste, muito triste, e sem ver forma de dar a volta por cima... se calhar vou ter mesmo de contornar.

2 comentários:

ACC disse...

Amigos. É uma palavra linda e difícil de arranjar um verdadeiro. É como o amor. Na verdade a amizade é igual ao amor. Descobres, investes o teu coração, estás lá, choras com o outro, ris-te com o outro, desejas que o outro não passe por situações difíceis mas se passar estas lá para ajudar, dar um ombro amigo, um abraço ou um beijo. Amizade é então um sentimento igual ao amor. E como no amor, é saudável ter opiniões e visões diferentes, a plataforma comum é assim o respeito. Respeito por ter opiniões diferentes, pelas idiossincrasias, até mesmo pelas formas de estar na vida, quando são diferentes. E respondendo a tua pergunta, tu vales muito a pena como amigo. Mereces uma conversa franca e respeito. Como no amor, a amizade dificilmente se recupera intacta de um “vamos dar um tempo”. Beijoco-te muito meu querido amigo nos cá deste lado nunca te daremos um tempo. :)

Patrícia disse...

Meu querido,
concordo com grande parte do que dizes e percebo (e como a tua tristeza) mas, mesmo sem saber o que se passa permite-me algumas observações:
- eu não acredito num "dar um tempo" num namoro. Geralmente quer dizer: "desculpa lá, vamos acabar tudo mas como não te quero magoar mais do que o necessário não o vou dizer directamente). Não acho que funcione mas para muitas pessoas é um choque que alguem diga "acabou".
-Numa amizade não se "dá um tempo", mas pode e às vezes deve dar-se tempo à outra pessoa. Há quem, ao contrário de nós, não tenha a necessidade de esmiuçar tudo, de conversar sobre os problemas e também aí temos que compreender.
Claro que o outro lado também deve compreender e respeitar essa nossa forma de vida.
dá tempo ao tempo e lembra-te que há sempre quem só se lembre das coisas boas (mas houve más?)
beijos