sexta-feira, 21 de abril de 2006

Orgulho de ser um produto dos 70's


"De acordo com os reguladores e burocratas de hoje, todos nós que nascemos nos anos 60, 70 e princípio de 80 não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos. Não tínhamos frascos de medicamento com tampas "à prova de crianças" ou fechos nosarmários e podíamos brincar com as panelas. Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes. Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar àfrente era um bónus. Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem. Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa com açúcar, mas nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar lá fora. Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso. Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo monte abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. Depois de acabarmos num silvado, aprendíamos. Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que estivéssemos em casa antes de escurecer. Estávamos incontactáveis e ninguém se importava com isso. Não tínhamos Play Station, X Box. Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, chat na Internet. Tínhamos amigos e se os quiséssemos encontrar íamos à rua. Jogávamos ao elástico e à barra e a bola até doía! Caíamos das arvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal. Havia lutas com punhos mas sem sermos processados. Batíamos às portas de vizinhos e fugíamos e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados. Íamos a pé para casa dos amigos e para a escola, não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem. Criávamos jogos com paus e bolas. Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem, eles estavam do lado da lei. Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre. Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas. Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo.

És um deles? Parabéns!

Passa esta mensagem a outros que tiveram a sorte de crescer como verdadeiras crianças, antes dos advogados e governos regularem as nossas vidas "para nosso bem". Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós. Isto meus amigos é surpreendentemente medonho... e talvez ponha um sorriso nos vossos lábios: a maioria dos estudantes que estão nas universidades hoje nasceram em 1986... chamam-se jovens. Nunca ouviram "We Are The World" e "Uptown Girl" conhecem de Westlife e não Billy Joel. Nunca ouviram falar de Rick Astley, Bananarama ou Belinda Carlisle. Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname. A SIDA sempre existiu. Os CD's sempre existiram. O Michael Jackson sempre foi branco. Para eles o John Travolta sempre foi redondo e não conseguem imaginar que aquele gordo fosse um dia deus da dança. Acreditam que 'Missão Impossível' e 'Anjos de Charlie' são filmes do ano passado. Não conseguem imaginar a vida sem computadores. Não acreditam que houve televisão a preto e branco.

Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:

1.. Entendes o que está escrito acima e sorris

2.. Precisas de dormir mais depois de uma noitada

3.. Os teus amigos estão casados ou a casar

4.. Surpreende-te ver crianças tão à vontade com computadores

5.. Abanas a cabeça ao ver adolescentes com telemóveis

6.. Lembras-te da Gabriela (a primeira vez)

7.. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos

8.. Vais encaminhar este e mail para outros amigos porque achas que vão gostar.

SIM ESTÁS A FICAR VELHO!! (mas a idade é um estado de Espírito, certo!?)"



Como não poderia deixar de ser, revejo-me em quase tudo o que foi escrito neste texto que recebi hoje por e-mail e que achei que devia partilhar com vocês. No outro dia saí à noite de casa e esqueci-me do telemóvel em casa e, pior ainda mas para bem da sanidade mental da minha mãe, desligado! Andei toda a noite descansado, sem preocupações, sem ser incomodado por uma chamada a desoras ou uma mensagem à qual me sentisse obrigado a responder. Quando cheguei a casa e o liguei tinha nada mais nada menos que umas 16 tentativas de chamada e umas 6 ou 7 mensagens escritas. Ora digam lá se os bons velhos tempos não eram mesmo muito bons?!


Estas "meninas" é que eram "Os Anjos de Charlie" de que eu me recordo da série que passava semanalmente na velhinha RTP 1, creio que ainda a preto e branco. Absolutamente fabulosas!! E no texto acima faltaram ainda ser referidas séries como "Fama", "O Justiceiro", "Hooperman", "Os Ropers", "Galáctica", "Espaço 1999" e desenhos animados como "Conan, o Rapaz do Futuro", "Tom Sawyer", "Bana e Flapi", "Heidi", "Marco", "Sport Billy" (com a sua mala de fazer inveja a qualquer Louis Vuitton), entre tantos outros.

6 comentários:

AMS disse...

Felizes de nós que podemos sorrir ao ler isto. Pronto, confesso que não sou do tempo da "Gabriela". Sou da fantástica colheita de 79 ;)

Patrícia disse...

Realmente a colheita de 79 é a melhor de sempre. jovens qb e sem a "vergonha" de ter que dizer que nascemos nos anos 80!!!! :)
e sem dúvida que nos últimos 20 anos as coisas mudaram. Para nós um herói era um dos personagens dos "cinco" que eram independentes mas sempre com honra e respeito. e só viamos televisão quando estávamos de castigo e não podiamos ir brincar para a rua (geralmente acontecia quando falhávamos as horas de recolher....). não tinhamos computadores nem falávamos por chats, mas escreviamos/recebiamos centenas de postais de Natal... a bicicleta era a nossa "imagem de marca", e a quantidade de berlindes (devidamente abafados) que tinhamos dava estatuto social....
não me sinto velha quando leio estes emails. sinto-me previligiada. Afinal fui criança a sério. brinquei, ri, chorei. aprendi valores como a amizade, o campanheirismo, a lealdade. tenho o meu nome escrito em arvores e muitas histórias divertidas. O dinheiro não era importante, e não se discriminava ninguém por ter roupas menos novas. Cada qual desenvolvia a sua personalidade sem pressões e era respeitado por isso. E a pior coisa que nos acontecia era cair na asneira de ir caçar gambozinos (para quem não sabe, é um bixinho com orelhas de raposa, pelo malhado e cauda de gato-bravo ;) )

Nuno Reves disse...

Oh pá... somos uns afortunados, é o q é... Cada vez me convenço mais disso.

Ó Patrícia, mas tu já viste algum gambozino?! Querem lá ver q a moça é perita na caça aos gambozinos e eu n sabia?! eheheheh

AMS, n és do tempo da "Gariela" qdo deu a primeira vez mas decerto já a deves ter apanhado da segunda vez q deu... Mas deixa lá, és uma querida na mesma.

Bjs para ambas.

Patrícia disse...

claro que sou perita na caça aos gambozinos. e se quiseres tentar só tens que, numa noite de lua nova, esperar com uma saca aberta e uma lanterna em punho. vais ver que os ditos bixos até voam para dentro da tua saca..... :)

Nuno Reves disse...

Especialmente numa noite de lua nova... ahahah

Só tu, realmente.

Beijos

Jú disse...

E pronto venho eu contradizer isto tudo... ou sou eu que tive uma infância muito anormal dos meus amigos ou então não sei. Nasci em 87 (o nuno bem sabe que se fartou de me tentar explicar matemática lol), é claro que não sou do tempo da gabriela.. mas se me perguntarem sei perfeitamente dizer que foi a primeira novela e teve como protagonista a grande Sónia Braga. Ainda sou do tempo do Justiceiro, do Esquadrão Classe A e do MacGuyver. Não vi a Heidi e o Marco mas sei quem são... mas sei o Dragon Ball todo de cor e a geração mais "antiga" não sabe :p lol Enfim não sei se é de mim mas também cai de árvores, também ia a pé para a escola, os amigos que tinha (e continuo a ter) encontro-os na rua debaixo. Estou a começar a percepcionar que devia ter nascido no vosso tempo.. :o Também ia para casa ao escurecer e ficava a jogar à sirumba, aos 5 ou às 7 pedrinhas à porta de casa com o jogo desenhado a giz no chão. Enfim só para não ficarem a pensar tantas atrocidades da geração de 80.. há alguns que não se aproveitam, mas não somos umas aberrações sem infância. Bem mas reconheço: a vossa geração foi uma das que melhor a aproveitou ;) bjinho po nunito***