terça-feira, 1 de março de 2011

O Estranho Caso de Rui Pedro Mendonça



Hoje as notícias incidiram no caso do desaparecimento do Rui Pedro... Um acontecimento de 04.03.1998 ocupou hoje os noticiários e demais programas dos diversos canais de televisão... e não acho mal!
O que eu acho mal nesta história é o timming!!! Como é possível que TREZE ANOS depois do ocorrido, a Justiça do meu país venha, finalmente, considerar como arguido um tipo de quem se suspeitou logo de início?!
Como é que, sem haver qualquer dado adicional, como foi bem mencionado várias vezes, se lembram agora, assim "do nada", que o tal Afonso deve ser constituído arguido?!
Como é que o Estado português, caso se venha a provar a culpa do tal Afonso, vai poder "olhar" para aquela mãe, que esteve sempre em constante luta, sem "sentir" um peso inabalável na consciência?! Uma mulher que, entretanto, ficou sem o pai, sem o marido, ganhou uma depressão da qual duvido se livre um dia?!
É nestes casos que eu acho que devia haver não só um pedido de desculpas público como também uma indemnização choruda àquela família. Estamos em crise?! Aquela família também! E, se alguma coisa poderia ter sido feita na altura, não foi! Pelos vistos, não foi e lembraram-se ontem, dia 28.02.2011, que, afinal de contas, o suspeito deveria ser julgado. Algo não bate certo! Algo não está bem!
Este assunto é demasiado sério para ser debatido num post de um blogue, eu sei, mas não podia deixar de manifestar a minha indignação pela morosidade da nossa Justiça num caso de tamanha importância e gravidade como este!!
Como dizia hoje uma jornalista "o caso prescreve ao fim de quinze anos... faltam dois!" E eu pergunto "será que vamos esperar mais dois anos em mais averiguações para o deixarmos prescrever?!" Espero bem que não!
E nem sequer acho que a pena em que o tipo incorre (dez anos e qualquer coisa) seja suficiente para colmatar o que quer que seja!! No mínimo, é um ultraje e um atentado à inteligência de qualquer cidadão português!
B&A

2 comentários:

ACC disse...

Sabes não é só a morosidade que dói na alma. É olhando para trás, para todo o processo do Rui Pedro e ver que nem metade dos meios utilizados no caso Meddie, foram com ele usados. Doeu ver, na redacção, os olhos daquela mãe quando lá foi a uma entrevista no inicio do ano passado. Olhar para ela. Ela que se agarra com todas as formas aos farrapos de esperança que vão existindo.
A minha pergunta é, como é que a PJ vai averiguar, ao cabo de 13 anos, as provas contra este senhor?
Estou contigo no que toca a pedidos de desculpa públicos, era o mínimo que se podia fazer, e mesmo assim qualquer tipo de compensação, nunca irá apagar a dor daquela família.

Patrícia disse...

É um daqueles casos que nos deixa doidos e ainda um pouco mais descrentes na justiça Portuguesa.
Sei que a familia sempre suspeitou desse fulano, não faço ideia se é cumpado ou não, mas não acho normal que 13 anos depois (e como tu dizes sem dados novos) seja acusado. Já tem uma família, filhos e teve tempo mais do suficiente para fazer o mesmo a n crianças (caso seja culpado, claro). Que raio de Justiça.
Mas o que agora era importante era saber o que foi feito do miúdo. Principalmente porque a familia merece paz, nem que seja a paz de luto.