domingo, 20 de junho de 2010

Depois do aniversário... as comemorações!



Bom, sendo que este ano decidi não organizar rigorosamente NADA para comemorar o meu aniversário mas aconteceram uma série de peripécias, acho que vou partilhar com todos vós a minha vida desde quinta-feira passada.

Comecemos, então, pelo dia 17, o belo do dia de aniversário. Combinado que estava um almoço com um amigo meu em casa dele lá acordei às 9h30 para me despachar e por-me ao caminho para estar lá por volta das 12h00. E porquê esta antecedência?! Porque, como alguns de vós sabem, o "trolibu" estava na oficina. Como de costume, atrasei-me e só apanhei o autocarro das 11h00... Até aqui nada de novo! O caricato começa quando chego à estação da Fertagus em Corroios e, possuidor de um cartão VIVA, olho de soslaio para as máquinas dispensadoras de bilhetes e... sigo em frente para a bilheteira! Pois, eu e estas modernices das máquinas e do "mete cartão, tira cartão" não nos entendemos muito bem. Chego à bilheteira, que não tinha ninguém em espera e processa-se o seguinte diálogo:

- Bom dia! Preciso da sua ajuda. - disse eu.
- Bom dia! Diga-me lá, então... - disse a rapariga, muito simpática.
- Olhe, eu tenho este cartão e quero ir para Lisboa... Mas não percebo nada disto, há que tempos que não ando de transportes públicos e não me dou com as mãquinas. - disse eu.
- Sim, está bem... Então e tem viagens ainda no cartão?
- Não faço ideia, isto nem é meu, emprestaram-me - disse eu com o meu ar mais surpreendido de quem não fazia ideia de que aquilo acumulava viagens - Consegue ver isso aí na sua máquina?
- Deixe-me ver, então... Sim, não tem viagens, está vazio. Quer então ir para Lisboa... Ida e volta? Qual a estação?
- Sim, ida e volta, pode ser... Vou ficar em Sete Rios.
- E em Lisboa não vai usar mais nenhum meio de transporte?
- Sim, vou andar de Metro também, mais uma saga...
- OK, então é melhor carregar-lhe o cartão só com a ida para o aproveitar para o bilhete do metro uma vez que não pode acumular transportes diferentes no mesmo cartão...
- OK, como achar melhor... - disse eu, desejoso de me ver livre daquela situação.

Lá me carregou o cartão, paguei e aí vai ele para a plataforma. A viagem até Sete Rios decorreu normalmente, tudo sem sobressalto. Chegado à estação de Sete Rios e às bilheteiras do Metro, mais uma odisseia. Inesperadamente, toca-me o telemóvel; uma amiga para me dar os parabéns! "Abençoada", pensei logo eu... Atendi e a Marcinha lá me ajudou a comprar o bilhete na máquina. De telemóvel em punho, a carteira na outra mão, mete cartão na ranhura, tira cartão, marca o número de viagens, deixa passar o tempo, marca novamente, mete moedas na ranhura, enfim, uma comédia!! Parecia um autêntico provinciano que vai pela primeira vez à capital. Aliás, acho mesmo que a grande maioria nem se comporta assim como eu! LOL

Bom, lá cheguei à estação do Colégio Militar/Luz, a Marcinha ainda me foi dar um beijinho "in loco" e lá me fiz ao caminho que ainda me faltava chegar a casa do Sandro, em Benfica! A pé, porque nem valia a pena esperar por um autocarro que me deixasse mais perto.

O almoço foi muito bom, não só porque ele cozinha, de facto, bem (pronto, Sandro, agora podes limpar a baba, vá... LOL) mas porque nada como comer bem e em boa companhia! Lá andámos a dar um jeito numas coisas, chegou a hora de irmos embora. Haja quem trabalhe que eu estava de férias! LOL Cafezinho no Saldanha, mais uns deditos de conversa muito boa e estava na hora de regressar a casa. Despedidas feitas aí vai ele direitinho ao Metro.

Mais uma odisseia, pensei eu! O bilhete no Metro até correu bem, já tinha a experiência da parte da manhã. :-) Como apanhei o Metro no Saldanha, passei para o comboio em Entrecampos. E aqui fiz a figura mais totó de sempre! Corri a estação TODA e... nada de bilheteira! Lá vi uma rapariga sentada e perguntei-lhe onde podia comprar o bilhete, ao que ela me responde "Na bilheteira..." e eu pensei "OK, tou a fazer figura de estúpido mas também não exageremos, não é?!" Mas ela concluiu "lá em baixo, desce ali aquelas escadas e fica lá atrás..." Bom, lá fui e após mais umas figurinhas de totó lá dei com a bilheteira. Passei pelas máquinas como cão por vinha vindimada e fui direitinho ao rapaz que tinha acabado de chegar ao balcão. Novamente a mesma conversa, que não percebia nada daquilo e que queria ir para a margem sul. Lá me carregou o cartão com uma viagem, paguei e perguntei "e valido isto lá em cima na plataforma?" ao que ele me responde "pode validar já aí nessa máquina do lado esquerdo". Ora habituado que estou a discernir o lado esquerdo e direito dos meus interlocutores, olho para o meu lado DIREITO e não vejo nenhuma máquina... Ao que o rapaz me diz "do SEU lado esquerdo. Linha 4." Lá validei o bilhete e bati em retirada para encontrar a linha 4. Mais uma odisseia!! Andava eu na busca da p*** da linha 4, aparece-me o meu primo Marco à frente. Um bocadinho de conversa, lá ele me disse por onde subir para a linha 4 e eu lá lhe expliquei como chegava ao edifício da Portugal Telecom. Bom, expliquei mas não expliquei bem, vim eu a saber mais tarde, como já se vão aperceber mais à frente. Lá subi à plataforma da linha 4 e tudo decorreu normalmente até chegar a casa. Nada a acrescentar quanto ao dia 17.

Dia 18

Jantar marcado em casa da minha Grilinha e do meu sobrinho/afilhado. Estamos sentados à mesa e começo eu a relatar estas peripécias do dia anterior... E quando conto como expliquei ao Marco como chegar à PT ("então, sais em Picoas, para a saída da Andrade Corvo, voltas para trás até à Av. Fontes Pereira de Melo, passas em frente ao Teatro Villaret e dás de frente com a PT") a Vera, com o seu ar mais sóbrio diz-me assim "mas... há uma saída de Metro MESMO EM FRENTE ao edifício da PT!!" Amigos, segundo eles, fiz uma cara de espanto que só mesmo visto! Mais: segundo o Paulo, há QUATRO saídas em cada estação de Metro! E eu que precisei de chegar aos 37 anos para o saber, pois, para mim, eram apenas DUAS! Um universo novo se abriu para mim, sem dúvida! ehehehe Foi um jantar muito fixe, animado como sempre e com muito boa companhia também, claro! Até tive direito não a um bolo de aniversário mas sim um "Molotov de aniversário" com duas fantásticas velinhas. :-) Grilinha, só mesmo tu!

Dia 19

Como eu decidi não organizar nada para as comemorações, houve quem decidisse por mim organizar um jantar para a malta confraternizar: a minha comadre Vera! Desta vez a única coisa que poderia ter corrido menos bem seria chegar a Entrecampos para ir buscar um amigo mas até isso correu super bem. Lá descobri eu mais umas ruas e avenidas da nossa capital. Chegámos, já estava lá toda a gente e demos início a mais uma jantarada das nossas (Pedro, estava óptimo!!), muito bem regadas e não sem antes, durante e após ter sido literalmente coberto de beijos e abraços pelo meu afilhado. Desta vez descobrimos os beijos no nariz! LOL A loucura! :-P E, de repente, eis que um jantar normal se transforma em jantar de aniversário, com bolo de aniversário e tudo, luzes apagadas e duas velinhas para eu apagar com a ajuda do Duarte. Oh pá, confesso que até fiquei um bocadinho emocionado (eu que não sou nada chorão... NOT!). E depois muita conversa animada, mais álcool a escorrer pelas gargantas e muita boa disposição.

E agora as prendas com que me brindaram os meus amigos:

- Da mummy: umas calças da QM que eu escolhi, claro;


Da mana: uma caneta com duas cores que também é lapiseira e "pen" para o telemóvel

Do Sandro: juntamente com o agradável almoço, um postal com uma bonita mensagem


Da minha Grilinha e do Paulo: como adoro livros, mais um que promete! =D

Do meu afilhado Duarte: segundo ele "é o padrinho Nuno careca" =D


Do afilhado Duarte: a mãozinha dele


Do pessoal do jantar de dia 19: a colecção de filmes da Romy Schneider onde se incluem os três filmes da Sissi que eu andava a namorar há tempos...

Da D. Cindinha: a caixinha foi pintada e gravada por ela, uma artista de mão cheia!
E, pronto, foi assim que decorreram as comemorações do meu aniversário este ano... Em qualquer um dos três dias (parece festa cigana, não é?!) foi TUDO muito agradável e dou cada vez mais graças a Deus por ter os amigos que tenho.
Esquecia-me agora de salientar dois de entre todos os telefonemas que tive no dia 17... Directamente de Moçambique, os meus queridos BBF's. E digo-vos, cantar "O Carocha do Amor" a milhares de quilómetros provoca-me "ceninhas nos olhos"... E mais não digo senão as "ceninhas" voltam!
Obrigado a todos!!
B&A









5 comentários:

Vera disse...

Peripécias muito boas, e contadas ao vivo ainda tiveram mais piada! lololo

Bjocas

Smilechild disse...

Mas k bem =) Então gostou do almoço ?
Ainda bem amigo
Senão gostasse teria bom remédio... Livro de reclamações!!!
=)
Gosto de te ver feliz
=)
Abraçao

Anónimo disse...

E sim esqueces-te da menina que passou contigo a meia noite e te deu o primeiro Beijo de Parabéns...Magoei...

Nuno Revés disse...

Meus queridos:

@ Vera: Pois, ao vivo foi hilariante... Mais ainda quando descobri que tinha dado indicações erradas ao meu primo e que as estações de Metro têm quatro saídas... Só mesmo eu, não é?! =P

@ Smilechild: Eu disse logo que estava muito bom, não foi? =D O "munino" é que não acreditou no bebé aniversariante... :-P E gostei muito da tarde também! =)

@ Anónima: Tens razão, minha Fashion, é imperdoável! Mas não houve peripécia. Aliás, nós temos sempre peripécias, nem que seja ao "cheirar as lojas"... eheheh

B&A

Patrícia disse...

o que eu me ri... mas já sabes que com ou sem aniversário gostamos sempre de te ver lá por casa. beijos grandes amigo